Casos de febre hemorrágica na Bolívia deixa fronteira de MT em alerta

Um surto de febre hemorrágica, causado pelo arenavírus, e matou 3 pessoas na Bolívia, deixou não só o governo do país vizinho em alerta, mas também os municípios de fronteira, como Cáceres. Segundo o prefeito Francis Maris (PSDB), a situação já foi comunicada à Secretaria de Estado de Saúde e ao Ministério de Saúde.

A febre hemorrágica é transmitida pelas fezes e urina de ratos que portam o arenavírus. Pessoas contaminadas também podem transmitir a doença pelo sangue e outras secreções. Um dos problemas da doença, que causou o alerta, é que a taxa de mortalidade chega aos 30%.

“Muita gente circula na fronteira, temos muitos quilômetros de fronteira seca e pessoas que entram por estradas paralelas, então existe essa preocupação que o surto chegue aqui”, afirmou o prefeito.

Como as medidas em caso de surto devem ser tomadas pelo Ministério da Saúde, o prefeito comunicou a preocupação ao Estado e ao governo Federal, até mesmo para receber orientações de medidas que possam prevenir o aparecimento da doença.

“Estivemos na Bolívia na semana passada, mas foi antes da confirmação das mortes e coisa ganhar outra proporção. Mas pedimos auxílio para criar meios de evitar que a doença chegue aqui, até porque a taxa de mortalidade é alta”, enfatizou Francis.

A confirmação das 3 mortes criou alertas na área de fronteira com a Bolívia, inclusive em Mato Grosso do Sul. Em Corumbá, a prefeitura emitiu uma nota técnica com alerta para que as unidades de saúde saibam reconhecer os pacientes com a doença, mas afirmou que não existe motivo para pânico e que é somente uma medida de precaução.

Fonte: Gazeta Digital

Comentários Facebook