Vereador sugere instalação de biodigestores em escolas de Tangará da Serra

Método já é adotado em escolas do Sul do Brasil (Foto: prefeitura Lajeado/RS)

O vereador Claudinho Frare (PSD) sugeriu ao Município a instalação de biodigestores nas creches e escolas municipais de Tangará da Serra. Os biodigestores são compartimentos fechados que tornam possível a decomposição de matéria orgânica – seja matéria de produção vegetal, como folhas, palhas, restos de cultura, ou de produção animal, como esterco, ou de atividades humanas, além de resíduos industriais. A decomposição passa por um processo de digestão anaeróbica, realizada através da atividade de bactérias, resultando em biogás e biofertilizante.

“A montagem de biodigestores em creches, escolas públicas, estaduais ou municipais, tem uma grande utilidade social e ambiental, uma vez que traz economia de energia e também podendo substituir o gás de cozinha, e possibilitando reduzir o volume de resíduos jogados pela escola. E também auxilia na educação, mostrando aos alunos a importância da educação ambiental”, destaca o vereador autor da proposta, Claudinho Frare.

Segundo o parlamentar, entre os diversos tipos de biodigestores existentes, o Município pode optar por aqueles feitos de polietileno (mesmo material de caixas d´água), por exemplo, que têm baixo custo. Segundo estudos feitos por organizações de defesa do meio ambiente, uma escola com cerca de dois mil alunos desperdiça diariamente algo em torno de dez quilos de matéria orgânica na forma de restos de comida e pode ainda gerar algumas toneladas mensais de esgoto. Todo esse material serviria como excelente matéria-prima para os biodigestores que poderiam gerar energia para substituir o gás de cozinha utilizado pela escola. A economia é estimada em até R$ 1 mil por mês.

“Além disso, a implantação dos biodigestores contribui com a geração de educação ambiental em toda comunidade e ainda reduz os índices de emissão de carbono nos aterros sanitários que iriam receber toda essa matéria orgânica”, defende o vereador Claudinho Frare.

Fonte: Marcos Figueiró/Assessoria

Comentários Facebook