Em novo ato de vandalismo, lixeira instalada há 2 meses na Avenida Brasil é destruída

Foto: Reprodução

Mais um ato de vandalismo foi registrado contra o patrimônio público de Tangará da Serra. Dessa vez, o vândalo (talvez mais de um) destruiu uma lixeira recém instalada na Avenida Brasil, na região central da cidade. O ato gerou indignação no Facebook.

Foto: Reprodução

“Revolta. Esse é o sentimento que fica quando nos deparamos com uma cena triste como essa. Vândalos destruindo patrimônio público. Isso aí é do Povo, é meu, é seu. Nós é que pagamos a conta desses canalhas destruidores da coisa pública”, escreveu o secretário municipal de Meio Ambiente, Magno César.

O prefeito Fábio Junqueira (MDB) também expressou sua revolta, chamou os autores da ação de criminosos e lamentou a depredação do patrimônio público.

Em comentários, os cidadãos reagiram, todos indignados com o ato de vandalismo. Alguns indagavam sobre as câmeras de segurança pública instaladas pela cidade há alguns anos, que poderiam auxiliar na identificação dos vândalos, porém, não estão funcionando, por falta de manutenção.

Foto: Reprodução

As lixeiras foram instaladas ao longo da avenida pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), na peimeira quinzena do mês de junho de 2019. Os equipamentos oferecem dispositivo para a coleta do lixo úmido (orgânico e não-reciclável) e do lixo seco (reciclável).

28 pares de lixeiras foram colocadas desde a sede comercial do Samae (antiga prefeitura), até a rua Avelina Jaci Bohn (Rua 02).

Vandalismo

Há 10 dias, o Tangará em Foco mostrou que uma creche foi alvo de vandalismo no Jardim Monte Líbano. Portas foram perfurados com uma picareta, uma parede e parte do teto foram queimados e tinta foi jogada em outra parede.

Vandalismo ou depredação ao patrimônio público ou privado é tipificado como crime no artigo 163 do Código Penal, parágrafo único e incisos. Art. 163 – Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia: Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

Comentários Facebook