“No Dia Mundial do Meio Ambiente não há muito o que comemorar”, afirma vereador Dr. Xavier


Ao se pronunciar hoje (5) sobre o Dia Mundial do Meio Ambiente, o vereador cuiabano Dr. Xavier afirmou que o sentimento geral dos ecologistas – “e de todos aqueles que dispõem da mínima consciência ambiental” – é de tristeza pela depredação indiscriminada que o meio ambiente sofre em todas as áreas. O parlamentar tachou esse processo de criminoso à própria vida humana, não apenas à fauna e flora. “Toda a natureza, em si, está agonizante. O retrato do descaso contra o verde e a fauna, somando-se a uma série de ações destrutivas praticadas pelo homem, está à vista geral. Consequentemente, não há motivos para ninguém preconizar um futuro melhor do que essa aberrante realidade depredadora à natureza, fato vivenciado em cada canto do Planeta, e da qual todos fazemos parte” .
Na análise do parlamentar, esse posicionamento irresponsável do homem, em relação ao meio ambiente, equivale a suicídio coletivo. “Sempre na ânsia de arregimentar riquezas materiais, dinheiro, poder, ele {homem} não dá a mínima se seus passos ambiciosos podem atropelar o meio ambiente e comprometer o futuro da humanidade. Importa-lhe tão somente o presente, arrecadar posses, sequer as previsíveis situações que seus descendentes tendem a enfrentar em futuro não muito distante, quando a natureza se recusar a gerar alimentos e tudo perecer maciçamente A sombra da morte pairará então inflexível sobre essa grande nave domiciliar chamada Terra, atualmente debilitada diante de tantos infortúnios que sofre pelas mão de bilhões de seres que abriga e alime nta”.
Conforme análise do vereador, se hoje a fome é tormento angustiante em vários países, com enfoque maior no continente africano,” berço do terror da inanição”, qualificou, a tendência é de que esse mal se alastre logo pelos quadrantes do Planeta. “Faz-se urgente a adoção de medidas severas e urgentes para blindar o meio ambiente de tanta artilharia criminosa. Caso nada seja feito neste sentido, será tarde demais para que bilhões de pessoas acordem para uma verdade simples: dinheiro não se come, não é sustento de nada”.
“ESTAMOS ACOMPANHANDO E FISCALIZANDO SE A ÁGUAS CUIABÁ ESTÁ CUMPRINDO AS NORMATIVAS DO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA REFERENTES À UNIVERSALIZAÇÃO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DÁGUA E TRATAMENTO DE ESGOTO NA CAPITAL”
Especificamente sobre Cuiabá, Dr. Xavier asseverou que o rio que deu nome à capital emite sinais de socorro há décadas, inutilmente. “Todos os dias, o que já foi um canal límpido de navegação de grandes embarcações, recebe um sem número de toneladas de dejetos, incluindo sofás, bicicletas, vasos sanitários, etc. O tratamento de esgoto no município não passa atualmente dos 23%, e o restante é lançado in natura em suas águas, a cada dia mais poluídas, impróprias para consumo, banho. O pescado local tem gosto de óleo, não é um alimento agradável. Essa poluição não se concentra não apenas ao município, mas é direcionada também ao Pantanal, destino final de todo esse lixo destruidor. Por causa disso, cardumes têm pereci do por lá com regularidade assustadora”.
O vereador sublinhou que está acompanhando e fiscalizando se a empresa Águas Cuiabá realmente vem cumprindo as normativas impostas pelo Ministério Público, via TAC – Termo de Ajustamento de Conduta. “Foram fixados prazos para universalização do abastecimento dágua e tratamento de esgoto em Cuiabá, e o tempo está se esgotando. E é fundamental que a universalização do sistema seja cumprida à íntegra, para preservamos o Rio Cuiabá e tudo isso aqui não virar cenário de deserto sedento. A CAB perdeu a concessão dos serviços dos serviços na área na capital mato-grossense justamente por não cumprir tais dispositivos. Assim, estamos atentos e vamos continuar cobrando da Águas Cuiabá o desenvolvimento de ações que capacitem a empresa a concretizar as clausulas usadas oficializadas no TAC”.

João Carlos de Queiroz | Câmara Municipal de Cuiabá

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Comentários Facebook