“Sem vacina não há que se discutir volta as aulas”, afirma presidente do SINTEP em Tangará


Francisca sugere que os pais de alunos sejam consultados através de uma enquete

“Estamos com quatro Diretores de escolas em isolamento com suspeita de COVID. Inclusive eu. Sem condições sanitárias e vacina não há que se discutir volta as aulas”, afirma a Presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (SINTEP), sub-sede de Tangará da Serra, professora Francisca Alda Ferreira de Lima, ao enfatizar que não há condições para retomada das aulas presenciais.

A possibilidade que tem sido debatida pela SEDUC e Secretarias Municipais de Educação, segundo a presidente do Sindicato, deve ser descartada. pontua.

De acordo com a sindicalista, o SINTEP está realizando o planejamento estratégico durante essa semana. “Deste planejamento sai as ações do Sindicato para este ano. Vamos aguardar, debater o planejamento e os encaminhamentos”, salienta.

Quanto ao retorno das aulas presenciais, Francisca enfatiza não haver qualquer possibilidade disso acontecer, sugere que os pais de alunos sejam consultados através de uma enquete.

 

POSSIBILIDADE DE GREVE

A nível de Estado, professores e demais trabalhadores da rede em Mato Grosso sinalizaram para a realização de uma “greve sanitária” para contrapor a decisão do Governo do Estado de retomar as aulas presenciais já no próximo dia 8 de fevereiro.
Sobre essa possibilidade acontecer em Tangará, Francisca explica que a pauta será encaminhada para uma assembleia do SINTEP no Município. “Deverá ser pauta de uma assembleia que iremos promover assim que encerrar o período de quarentena em que estou, ou alguém assumir a presidência temporariamente”, completa.

Comentários Facebook