Ciclo de debates aborda diferentes aspectos ligados aos povos tradicionais de matriz africana



Para marcar a Semana da Consciência Negra, um ciclo de debates está ocorrendo entre os dias 16 e 19 de novembro, na plataforma virtual Meet, tendo como foco os povos tradicionais de matriz africana e os diversos aspectos sociais que as perpassam. O evento é promovido pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Área Técnica de Saúda da População Negra, e pelo Comitê Técnico de Saúde da População Negra e é aberto à população (veja programação ao final). 

As mesas de debate virtuais ocorrem na mesma semana em que foi lançado o mapeamento dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana, de terreiros e afro brasileiras, disponível no site da Prefeitura, e que é uma forma do Executivo municipal conhecer melhor as necessidades desse público e viabilizar políticas públicas voltadas para o mesmo. 

“O nosso foco da Semana da Consciência Negra são os povos tradicionais de matriz africana porque a gente vai aproveitar e fazer desta semana uma semana de Educação e Saúde dos povos de matriz africana. Vamos falar das políticas públicas e dos incentivos, sobre umbanda e candomblé, que são as duas religiões de matriz africana mais presentes na cidade. Também vamos falar sobre a educação como ferramenta no combate à intolerância religiosa e ainda vamos fazer uma live sobre saúde da população negra. Estamos trazendo pessoas com expertise muito grande. Os eventos são abertos pelo Meet e todas as pessoas podem participar e mandar perguntas”, destacou a responsável técnica da Saúde da População Negra da SMS, Nara Nascimento. 

Os encontros virtuais estão ocorrendo desde a terça-feira (16) e vão até sexta-feira (19), sempre às 9 horas. No primeiro dia, o tema debatido foi “Povos e comunidades tradicionais de matriz africana – Políticas Públicas e Incentivos”. No segundo dia, o assunto abordado foi “Umbana e Candomblé”. 

Nesta quinta-feira (18), às 9h, ocorrerá o debate sobre “A Educação como ferramenta de combate à intolerância religiosa”. Para participar, clique no link meet.google.com/mxj-rgny-pfp. Veja quem serão os palestrantes:

Edmilson Marques de Moraes – bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); especialista em Relações Raciais e Educação na Sociedade Brasileira pela UFMT; tutor de cursos EAD na UFMT na temática das Relações Raciais. 

Maurício Vieira – pedagogo com experiência em coordenação escolar; mestre em Educação pela UFMT; membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação (NEPRE); coordenador do curso de Pedagogia da Faculdade Invest de Ciências e Tecnologia. 

Mateus Moraes de Oliveira – graduando em Psicologia na UFMT (campus Cuiabá); representante do Kilombo Cassangue – Coletivo de Alunas e Alunos Negras e Negros do Curso de Psicologia da UFMT Cuiabá no Comitê Técnico de Saúde da População Negra de Cuiabá; membro da Coordenação Nacional de Estudantes de Psicologia (CONEP). 

Para encerrar a Semana da Consciência Negra, na sexta-feira (19), às 9h, haverá a mesa de debate sobre Saúde dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana. O link para acesso é meet.google.com/mxj-rgny-pfp. Veja quem serão os palestrantes:

Celso Ricardo Monteiro – licenciado em Ciências Sociais, atua na interface entre Estado, sociedade, indivíduos e religião/religiosidade. Assina capítulos de diversos livros e artigos. Consultor do programa de DST/AIDS da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. 

Leonardy Negrini – psicólogo no Hospital Metropolitano de Várzea Grande, especialista em Gestão Hospitalar e Saúde Pública; mestre em Psicologia da Saúde pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB-MS); professor universitário; babalorixá do Templo de Umbanda São Benedito das Folhas. 

Nara Nascimento – enfermeira sanitária; responsável pela área Técnica de Saúde da População Negra da SMS; integrante do Comitê Técnico de Saúde da População Negra. 

Comentários Facebook