Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial celebra 20 de novembro com café da manhã



Davi Valle

Clique para ampliar

O grupo de percussão do Instituto Cultural Casarão, formado por crianças do bairro Pedra 90, abriu a programação preparada pelo Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial para comemoração do Dia da Consciência Negra, celebrado hoje (20 de novembro). O evento contou com a participação do titular da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Paulo Roberto.

Como de costume, a data é comemorada com um café da manhã afro, que promove um debate quanto à importância da igualdade de direitos visando alcançar uma sociedade cada vez menos preconceituosa.

“Para muitos pode parecer uma atitude simples, mas que para nós, negros, têm grande valia. Precisamos ser unidos para cada vez atingirmos os avanços esperados por todos nós. Há tempos sigo nessa luta, e cada vez mais vou correr atrás dos nossos objetivos”, declarou o presidente do Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial, Edvande França.

“Hoje é um dia de festa que nos leva a importantes reflexões. Eu como mulher negra, vinda de uma família batalhadora,  estou e vou estar onde eu quiser. E essa mensagem vale para todos. Temos que lutar para acabar com essa ideia de que temos que demonstrar que somos capazes. Sou e todos nós somos”, declarou, emocionada, a secretária municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, Hellen Ferreira.

O secretário nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Paulo Roberto, fez um resgate histórico das lutas do povo negro, citando a Constituição Federal de 1988. “Todos somos iguais perante à lei. Será que somos? Será que nesse 20 de novembro quem deve refletir é a sociedade ou nós, de pele negra. É hora de buscarmos a garantia dos nossos direitos. Que todos sejam iguais de fato. Se um pode, todos podem. Esse é o meu recado. Se valorizem. Todos podemos produzir e se sentir úteis ”, disse.

Os secretários-adjuntos de Assistência, Clausi Barbosa, Direitos Humanos, Cristiane Fonseca e da Pessoa com Deficiência, Mário Lúcio Guimarães de Jesus, e representantes dos Conselhos de Direitos e representantes de entidades afrodescendentes. 

Comentários Facebook