Comissões debatem mobilidade para pessoas com deficiência visual



Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília
Direitos Humanos - deficentes - deficiência visual cegos sinalização horizontal piso tátil acessibilidade mobilidade urbana (Rodoviária de Brasília)
Audiência vai debater tecnologias urbanas para facilitar a vida dos deficientes visuais

Audiência conjunta das comissões de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, e de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados discute, nesta segunda-feira (6), a mobilidade de pessoas com deficiência visual.

O debate será às 10 horas, no plenário 5, e poderá ser acompanhado de forma virtual e interativa pelo e-Democracia.

O debate atende pedido dos deputados Waldenor Pereira (PT-BA), Paulo Teixeira (PT-SP) e Erika Kokay (PT-DF).

Eles argumentam que, no dia a dia de nossas cidades, as pessoas com deficiência visual são “invisibilizadas”, e defendem o uso de “tecnologia assistiva na construção de uma cidade inteligente”, contribuindo para o aprimoramento do conceito de smart city, que implicará a construção de uma cidade efetivamente para todos.

Segundo os autores, a audiência pública visa a “obtenção de ideias práticas para tornar mais efetiva a remoção das barreiras que ainda colocam as pessoas com deficiência visual, aqui compreendida em todo o seu espectro, em situações que as impossibilita de exercerem, com autonomia, sua vida em sociedade”.

Debatedores
Entre os convidados para a audiência estão:
– a advogada e especialista em inclusão de pessoas com deficiência, Emmanuelle Garrido Alkmin;
– o consultor em acessibilidade e em audiodescrição e membro da Rede Brasil de Turismo Acessível, Ednilson Sacramento;
– a presidente da Associação Conquistense de Integração do Deficiente, pedagoga e especialista em educação inclusiva, Alana Santos;
– a representante do Ministério do Desenvolvimento Regional, Lais Andrade Barbosa de Araujo;
– o representante da Visibilidade Cegos Brasil, Roberto Leite;
– o ex-presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade) Flávio Henrique.

Da Redação – RS

Comentários Facebook