Diretório estadual do PP destitui diretoria municipal e anuncia: “PP não irá com Wesley Torres”


Convenção do PP nesta terça em Tangará da Serra (Imagem: Reprodução)

O Progressistas (PP) protagonizou uma das convenções mais inusitadas dessa eleição em Tangará da Serra. O partido, liderado na cidade pelo ex-vereador, Amauri Paulo Cervo, e pelo ex-secretário de saúde, e marido da atual secretária de Fazenda, Valnicéia Picolli (MDB), fez convenção no final da noite desta terça, 15, na casa do deputado Paulo Araújo, no Jardim do Lago, e tentou referendar apoio ao pré-candidato a prefeito Wesley Torres, o Wesley do Samae, do MDB.

Porém, no meio da convenção, que já estava montada para oficializar o apoio do PP a Wesley, os Progressistas foram surpreendidos pela intervenção do secretário geral do partido, Euzébio Diniz, de Cuiabá, que anunciou que, por decisão regional, o PP não irá se coligar com o MDB de Wesley.

Para completar, Euzébio, que é um dos principais articuladores do PP em MT, anunciou a destituição da executiva provisória municipal do partido em Tangará da Serra. Falando curto e grosso, o PP anunciou que Amauri Cervo, Toninho Iporã e demais membros da diretoria do PP estão depostos, demitidos, não respondem mais pelo partido.

Mesmo depois de ‘demitido’ do PP, Amauri Cervo foi anunciado como vice de Wesley Torres

Pouco depois da ‘demissão’, Amauri Cervo foi anunciado como candidato a vice-prefeito de Wesley do Samae, contrariando às decisões do PP estadual. Nós conversamos com Euzébio Diniz, da executiva estadual do PP, que nos garantiu que o anúncio do partido na coligação de Wesley não passa de ilusão, utopia.

“Essa referendada que o MDB tá dando deve ser por decisões próprias deles, cabe ao MDB, depois, justificar isso. Até porque não existe mais o diretório do Progressistas em Tangará, é uma comissão provisória, que amanhã será divulgada para todo mundo, a nossa comissão provisória do Progressistas”, disse.

De acordo com ele, será essa nova comissão provisória que “homologará a chapa dos vereadores [do Progressistas] e a devida coligação com o PSD. (…) essa é decisão que foi tomada pelo diretório regional”, comentou.

Para completar, Euzébio dá o recado e afirma que a coligação do PP e de Amauri com Wesley é nula, não passa de propaganda enganosa, pois não tem efeito nenhum.

“Então, essa homologação [de coligação do PP com o MDB], é nula de fato e de direito, mas cabe ao MDB se explicar depois em relação a isso, (…) mas em relação ao Progressistas [o MDB] não terá coligação [com MDB], não”, garantiu.

O Tangará em Foco conversou ainda com o deputado Paulo Araújo, que disse que irá ‘tomar pé’ da situação nesta quarta para depois comentar o caso.

Tentamos contato, por telefone, com Amauri Paulo Cervo, mas não obtivemos êxito.

Comentários Facebook